A jornada da Kavod continua – A aceleração!

Olá clientes, fãs, seguidores e leitores da Kavod Lending. Quem escreve aqui é o Renato Douek, sócio fundador e CMO da Kavod. É com muito entusiasmo que resolvi escrever esta série de posts que virão ao longo das próximas semanas para compartilhar um pouco do primeiro ano da nossa empresa e contar o que aconteceu desde que iniciamos nesta jornada. As dificuldades, conquistas, prêmios e histórias que passamos neste ano incrível!

Lá em Fevereiro, o Fábio (meu sócio e CEO) escreveu um post muito bacana falando como tudo começava e o que pretendíamos naquela época. Se você não leu essa postagem, clique aqui para ler, pois vale a pena. Como ele comentou, nós passamos por um processo de aceleração.

Como foi esta aventura?
É justamente por aqui que vou começar, pois foi de fato onde tudo começou a ganhar forma para a Kavod.

Startup Farm: Ahead | Visa – A aceleração

A Startup Farm é a maior aceleradora da América Latina e, recentemente foi eleita a aceleradora do ano pelo Startup Awards 2017 e está com inscrições abertas até dia 17/12/17 para a próxima turma de aceleração. Em 2016 foi criado o novo programa de aceleração da Startup Farm, o Ahead, um programa de aceleração bastante completo. A sua primeira edição, que começou lá em Janeiro e foi realizada em parceria com a Visa, foi chamada de Ahead | Visa e teve quase 700 inscrições vindas de 10 países diferentes. Essa edição foi focada em Fintechs (Empresas do setor financeiro com base em alto uso de tecnologia). Apenas S-E-T-E empresas foram selecionadas e a Kavod foi uma delas. Nossa primeira grande conquista!

Tudo começou num Sábado, dia 14 de Janeiro, de maneira bem estranha diferente. Com uma atividade de integração onde fizemos coisas não muito normais, mas que serviu para que todos se conhecessem um pouco e a turma pôde interagir com pessoas de outras empresas que também seriam aceleradas.

Na segunda dia 16, as coisas já foram mais normais…mas no começo foi difícil! Acho que tanto para nós, como para a própria equipe da Startup Farm. Quando dois caras que tem mais de 10 anos de experiência em mercado corporativo (muitos deles no setor financeiro) resolvem entrar em um processo de aceleração, a tendência é que eles achem que já sabem tudo.

Com a gente não foi diferente, e tenho certeza que a Startup Farm deve ter sofrido um pouco com isso. Mas, rapidamente, percebemos que o mundo de startups é bem diferente, tem que ter mais agilidade, flexibilidade e muitas outras coisas que são difíceis de implementar na maioria das empresas tradicionais. Você tem que criar, testar, medir o resultado, ajustar, criar mais, testar e medir resultado de novo e aprender a cada passo que dá, sempre com muita rapidez (esse conceito “antigo” de PDCA – plan, do, check and act, que é super bem desenhado em técnicas de SCRUM e processos ágeis, foi apenas um dos muitos conceitos que nós aprendemos).

Com a ajuda da aceleração, conseguimos mudar o nosso mindset engessado e aprendemos a navegar por novos mares. Acredito que também fomos capazes de contribuir e ensinar algumas coisinhas à equipe da Startup Farm e outros Farmers (forma como chamamos outras pessoas que também passaram pelo processo de aceleração), tanto que fomos convidados para dar algumas mentorias para as turmas que vieram na sequência. Tem sido realmente um processo de troca muito legal!

Durante o programa, tivemos uma série de conteúdos que abordaram os mais diversos temas relacionados ao desenvolvimento de startups, desde mídias sociais, até assuntos jurídicos. Além disso, a rede de mentores e networking que a Startup Farm e a Visa nos proporcionaram é incrível. Eles foram capazes de abrir portas que até então pareciam muito distantes. Fizeram pontes com pessoas e empresas que contribuíram bastante com o crescimento e desenvolvimento da Kavod.

A temida banca de pitch

Ao final de cada semana, tínhamos a banca de pitch. Onde cada uma das 7 empresas apresentava sua startup abordando o tema proposto para a semana. Entre os temas estavam: identificação do mercado alvo e do problema que queremos resolver, estratégia de go to market, desenvolvimento da solução/mvp (mínimo produto viável) e modelagem de negócio. Além disso, nos ajudaram a entender melhor o mercado de VCs/fundraising.

Logo na primeira semana, tomamos um tapa na cara tivemos um feedback bem duro. Na verdade, isso ocorreu com todas as startups do grupo. E acho que deve acontecer o mesmo em todos os programas. Pois realmente a evolução que temos nas primeiras 5 semanas é inacreditável. Os nossos slides eram muito feios, mas muito mesmo.

Então resolvemos conversar com o meu irmão Marcelo Douek (CEO da Lukso – Story e Strategy) para que ele nos desse uma aula de como apresentar a história da nossa empresa de forma cativante e memorável!
E que aula que tivemos! Com as dicas que ele nos deu o progresso foi tão GRANDE que na semana seguinte recebemos uma menção honrosa do comitê julgador exaltando a melhora na qualidade dos slides. E o progresso não parou por ai, na 5a semana e última banca de Pitch, fomos eleitos vencedores com o melhor pitch da semana!
Mais uma conquista que nos deixou muito feliz.

No total, foram 6 meses de aceleração e, para concluir esse ciclo, nada melhor do que uma viagem de uma semana para São Fancisco patrocinada pela Visa. Dois integrantes de cada startup foram para os Estados Unidos com todas as despesas de passagem e hospedagem pagas. Lá teve muito trabalho, muitas reuniões e muita diversão também, mas isso eu vou deixar para contar na semana que vem…

Deixe seus comentários aqui em baixo e compartilhe esse texto com os amigos nas redes sociais.

Semana que vem eu volto com muitas histórias da terra do Tio Sam! Até lá, ou… see you next week!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *